Sagrado Segredo

De repente me dei conta de que tudo ao meu redor estava se transformando. 
E quando me vi no espelho, não me reconheci mais.
 
O tempo: algo que nunca pára; um fluxo eterno, um  rio cíclico, uma transformação constante.
A vida: Um conjunto de momentos efémeros. 
Essa coreografia encena questionamentos existenciais do ser humano.  Em momentos nos conformamos com a a fugacidade da vida, e aceitamos as mudanças. (..) Ora flutuamos sem preocupação, aceitando a transfiguração de tudo, ora nadamos contra a corrente. A música e a movimentação dessa coreografia retratam um fluxo constante, correntezas cíclicas que retornam ao início, mas nunca se repetem exactamente da mesma forma. Em momentos parece que os intérpretes nadam contra uma corrente, um processo desgastante e doloroso. Se encontram em espaços recortados pela iluminação como se estivessem presas em amardilhas lutando contra a própria história de vida, as fantasmas do passado, o apego que nos prende e o medo de encarar o futuro.
Uma vida é efémera. Como se relacionar com o passageiro?
Na pesquisa deste projeto são entrevistadas pessoas de diferentes contextos e estádios de vida sobre a visão do tempo. São depoimentos sobre a própria definição do tempo, e como lidar com ele. Relatam momentos que foram definidores para a formação de estratégias para lidar com a transformação, o apego e as despedidas, e como se relacionar com o futuro.

 

FICHA ARTÍSTICA

Criação: Åsa Malmström, em co-criação com Lucimar Cerqueira e Teresa Fabião.

 

Música:Franck Lavidal

 

Iluminação: Gerard Laffuste

Ano 2012

perfil
Sagrado Segredo
Sagrado Segredo
Sagrado Segredo